Calçada do Combro, 139 / 1200 - 113 LISBOA
Telefone: 21 346 10 75
E-mail: letralivre@sapo.pt
 
 
Ajuda

                      

Páginas «  11 |  12 |  13 |  14 |  15 |  16 |  17 |  18 |  19 |  20 |  21  »
Foram encontrados 130 produtos
 
Notas Sobre o Pensamento e a Visão de Hilda Doolittle
€ 15,00

Salvador Puig Antich e a Luta Armada Anticapitalista na Catalunha nos últimos anos do Franquismo
Salvador Puig Antich (1948-1974) foi um lutador libertário catalão, membro do Movimento Ibérico de Libertação - Grupos Autónomos de Combate (MIL-GAC), que ficou na memória colectiva como uma das últimas vítimas do garrote civil em Espanha. Este livro recupera a sua história, 47 anos depois da sua morte. Organizado por Ricard de vargas Golarons, ex-membro do MIL e da Organização de Luta Armada (OLLA), e composto por diferentes textos de companheiros de luta e familiares, por escritos do próprio Puig Antich e por um anexo fotográfico e documental, este livro recupera a história de um revolucionário comprometido com a luta antfranquista e anticapitalista, uma vida que se confunde também com a história da resistência armada à ditadura nos últimos anos do franquismo.

€ 15,00

As Esquerdas Radicais Ibéricas Entre a Ditadura e a Democracia
€ 15,00

Escritos Livres 1910-1926
Antologia organizada por Rita Ciotta Neves
€ 15,00

Antologia Poética de Alexandra Pizarnik
€ 15,90

Os Condenados da Terra
Prefácio de Inocência Mata
Extra texto de Mário Pinto de Andrade

«Hoje, a independência nacional, a formação nacional nas regiões subdesenvolvidas revestem aspectos totalmente novos. Nessas regiões, exceptuando algumas realizações espectaculares, os diferentes países apresentam a mesma ausência de infra-estrutura. As massas lutam contra a mesma miséria, debatem-se com os mesmos gestos e desenham com os seus estômagos encolhidos aquilo a que se passou a chamar a geografia da fome. Mundo subdesenvolvido, mundo de miséria e desumano. Mas também mundo sem médicos, sem engenheiros e sem administradores. Perante tal mundo, as nações europeias chafurdam na mais ostensiva das opulências. Essa opulência europeia é literalmente escandalosa porque foi construída à custa dos escravos, alimentou-se do sangue dos escravos, vem directamente do solo e do subsolo desse mundo subdesenvolvido. O bem-estar e o progresso da Europa foram construídos com o suor e os cadáveres dos negros, dos árabes, dos indianos e dos amarelos. Isso, decidimos nunca mais o esquecer.»
€ 16,00
 

 
Páginas «  11 |  12 |  13 |  14 |  15 |  16 |  17 |  18 |  19 |  20 |  21  »


«O amor ao progresso e ao moderno é a outra forma do mesmo característico provinciano. O provinciano pasma do que não fez, precisamente porque o não fez; e orgulha-se de sentir esse pasmo...»
Fernando Pessoa
Qual a sua opinião sobre o site da Letra Livre?
» Responder
       
 
  © Copyright Livraria Letra Livre - Todos os direitos reservados